Ata da Assembléia Geral Ordinária da Associação naturista de Abricó
Data: 15 de dezembro de 2007
Local: Praia do Abricó

Às 15:00 o presidente da Associação, Pedro Ribeiro, deu por aberta a Assembléia. Escolhida a mesa diretora, composta por Pedro Ribeiro, presidente, e Antonio Alves, secretário, foi lida, por Thiago, a Ata da Assembléia anterior, realizada em 14 de outubro passado, a qual foi aprovada por unanimidade. A Assembléia começou com 9 associados presentes.

Em seguida Pedro Ribeiro comentou a decisão da Assembléia anterior que não foi colocada em prática, no que diz respeito aos Livros de sugestões e reclamações e seus respectivos totens, os quais não foram confeccionados porque ninguém se ofereceu para realizá-los e Pedro decidiu não fazer enquanto não houver voluntários para os produzirem. Thiago sugere não levar adiante a idéia, porque não vê utilidade nos livros, principalmente no que estaria designado para a parte externa da praia.

Renato, novo associado, sugeriu que a Associação deveria pedir apoio à Câmara de Vereadores para obter ajuda financeira para a ANAbricó. Pedro lembrou da presença da fiscal da secretaria de meio-ambiente que se colocou contra a placa provisória confeccionada pela associação, por causa de alguns dizeres constantes. Não há unanimidade sobre o naturismo na Secretaria. Até as placas oficiais, previstas em Lei, somente foram colocadas após 2 anos de liberação do Naturismo, levadas logo em seguida por ressaca do mar, não foram substituídas até hoje. Elas ficaram dependentes de realização de licitação pública para confecção das placas informativas para todos os parques municipais.

A empresa fabricante do Sundown doou para a Associação uma grande variedade de produtos para primeiros socorros e uma caixa de protetores solares, com 12 unidades. Foram vendidas nove. Além disso, doou a confecção das placas de sinalização. No momento a Prefeitura está exigindo que elas devam ser feitas em material especial reciclável de acordo com normas estabelecidas, no entanto há somente três empresas no Brasil que seguem esta orientação. A Associação está aguardando os resultados dos orçamentos pedidos a essas empresas.
Começando a parte das deliberações:

1) Mudança nas regras de aquisição do passaporte. O critério atual de estar apto ao passaporte, o associado que assistir a três assembléias, é de difícil aplicação para muitos. Renato não acha bom que os passaportes possam ser fornecidos via Internet, o que já tem sido oferecido, enquanto as Unidades Federadas tem critérios mais rígidos para a concessão. Pedro esclareceu que, na reunião de um mês atrás, na Praia do Pinho, foi observado que desta forma é muito pouco seguro e que houve reação contrária da plenária contra algumas instituições naturistas que assim procedem. No entanto, a Federação Brasileira indicou que o número de passaportes emitidos no Brasil é importante para que a FBrN conte com mais votos nas reuniões deliberativas da Federação internacional de Naturismo. Pedro lembra também que durante o Congrenat realizado aqui na Praia do Abricó no ano passado ficou decidido que instituições que não possuam associados não podem emitir passaportes. Thiago discorda da exigência de três assembléias, pois ela prejudica a quem não pode comparecer. Sugere uma “entrevista” com o presidente, que decidiria pela concessão ou não. Renato sugere levar a questão ao Congresso em Tambaba, em 2008. Pedro lembra também que, na mesma reunião do Pinho citada anteriormente, levantou-se a possibilidade de que também nas reuniões deliberativas da Federação Brasileira cada federada tenha sua quantidade de votos proporcionais à quantidade de passaportes emitidos pela mesma. Pedro defendeu que o número de votos seja de um por associação. Votação para a emissão do passaporte: manter o critério atual, isto é, seis meses de associado e presença em três assembléias ordinárias, recebeu 1 voto. Formar uma “comissão” que aprove o candidato: 7 votos. Pedro sugere que haverá seis meses de carência para o novo membro pedir o passaporte e depois ser avaliado por uma comissão de três membros. Álvaro sugere que os seis meses não fossem rígidos, podendo-se emitir em tempo menor em caso de necessidade.

2) Pedido de freqüência à praia de um rapaz que tem uma doença parecida com Priapismo. Pedro recebeu telefone de um rapaz que relatou que tem uma doença semelhante ao priapismo (não conseguir terminar uma ereção peniana), que gostaria de freqüentar a praia do abricó. Na discussão foi colocado que alguns problemas físicos impedem as pessoas de freqüentarem determinados lugares ou praticar determinadas atividades, como por exemplo, deficientes visuais praticar jogos com bolas, deficientes de locomoção praticarem corridas, etc. Logo a assembléia entendeu que, caso o rapaz queira freqüentar a praia deverá seguir as mesmas regras que todos e se tiver uma ereção poderá sofrer as mesmas sanções que qualquer outra pessoa.

3) Festa da Fim de Ano. Foi sugerido que a se realizasse no dia 23 de dezembro, com mesa de frutas, doces e salgados natalinos e trocas de presentes na modalidade de amigo oculto. Thiago sugere nada fazer. Pedro sugere que se comemore também o dia dos aniversariantes do mês de dezembro na mesma data. Ana sugere que outra festa fosse realizada no dia 6 de janeiro. Em votação: realizar no dia 23 de dezembro, 7 votos. Realizar também no dia 6 de janeiro, 7 votos. Os associados e participantes devem trazer comidas para a mesa.

4) Esquema de Verão. No ano de 2006 havia a presença da Associação de segunda a segunda, com aluguel de um apartamento nas proximidades. No ano seguinte (2007), por causa das dificuldades financeiras originadas pelos gastos na realização do CongreNAT, a Associação ficou presente somente às sextas, sábados, domingos e feriados. Por questões financeiras, neste verão, a Associação somente estará presente com placas de sinalização e fiscalização aos sábados, domingos e feriados. Nos demais dias da semana será comum, mas pede aos naturistas que estiverem presentes na praia nesses dias que observem as regras do naturismo.

5) Pedido para tirar as roupas logo após a entrada na praia. O assunto foi debatido: algumas pessoas se sentem constrangidas pelos olhares das pessoas que estão fora da área naturista e não se sentem à vontade para tirar as roupas logo no início. Hamilton comentou que a demora em tirar as roupas ou a demora em ir embora quando já se está vestido atrapalha o trabalho da “portaria”, pois muitos curiosos querem entrar para dar uma olhadinha também vestidos, justificando-se pela presença de outras pessoas vestidas na praia. Para ajudar então no controle precisaria de mais voluntários no início da praia. O assunto não foi votado.

6) Condições financeiras. Renato sugeriu que a Associação se profissionalizasse, ou seja, contratasse pessoas para fazer serviços burocráticos e serviço de “portaria”. Sugere que os recursos para isso poderiam ser obtidos pela prestação de serviços com uma barraca da associação, vendendo frutas, bolos, sucos, alugando barracas e cadeiras, etc. Sugeriu-se também anistia para associados inadimplentes, para que eles voltassem a pagar a associação. Foi sugerido que se disponibilizasse boleto bancário na Internet para pagamento virtual e ter também alguém para fazer cobrança. Sugeriu-se divulgar nos meios de comunicação tradicionais os eventos programados para o Abricó, a fim de atrair mais público e possíveis novos associados. Nada foi votado.

7) Pacote para Tambaba. O assunto começou a ser levantado, mas não houve interesse da assembléia. Houve dispersão e as pessoas começaram a ir embora.

A assembléia foi encerrada às 16:50.

Assinaram a lista de presença 12 associados.

Sendo assim disposto, Rio de janeiro 15 de dezembro de 2007
Pedro Ribeiro – presidente
Antonio Alves – secretário